.

O azul celeste do enigma na noite emudecido

.

Espaço Clarice - Fãs.

Sobre o texto:

Arranjo: Keidy Costa
Contato: http://keidylee.blogspot.com
A poesia "O azul celeste do enigma na noite emudecido" é um arranjo de trechos das obras de Clarice Lispector, Cecília Meireles, Vladmir Maiakovski e Affonso Romano de Sant'Anna.

Vê como tudo agora emudeceu,
que tributo de estrelas a noite impôs ao céu
em horas como esta eu me ergo e converso
com os séculos a história do universo.
Mas de que me vale ter casa, parentes, vida?
Sou a terra que estremece? Ou a multidão que avança?
Ó solidão minha, ó limites da criatura!
Meu nome está em mim? No passado ou no futuro?
Ninguém responde. E o fogo avança para meu pequeno enigma. Arranjo
Cheio de "eu sei, eu sei",
de promessa de fidelidade e de apoio mútuo
numa união cerrada e quase má;
uma e simples, nenhum movimento a simbolizava,
era o mistério aceito:
eu gostaria de ser aquele pequeno inseto de olhos luminosos
que a mulher descobriu à noite no gramado
para quem o escuro é o melhor dos mundos.
Na ver¬dade, porém ela não sabia o que lhe sucedia
e seu único modo de sabê-lo era vivendo-o.
Nos telhados os pardais secos.
Não sei se é porque o céu é azul celeste
e a terra, amante, me estende as mãos ardentes
nas calçadas pisadas de minha alma
passadas de loucos estalam calcâneo de frases ásperas.
"Eu vos amo, pessoas", era frase impossível.
A humanidade lhe era como morte eterna
que no entanto não tivesse o alívio de enfim morrer.
Onde forcas esganam cidades
e em nós de nuvens coagulam
pescoço de torres oblíquas e
nada, nada morria na tarde enxuta,
nada apodrecia.
E às seis horas da tarde fazia meio-dia.
Dor? Nenhuma. Nenhum sinal de lágrima e nenhum suor.
Sal nenhum. Só uma doçura pesada:
E o Deus? Não.
Nem mesmo a angústia.
O peito vazio, sem contração.
Não havia grito.

Fontes utilizadas:

*Trecho de “Reparei que a poeira se misturava às nuvens” de Cecília Meireles.
*Trecho de “Fragmentos”, do livro “Maiakovski – Poemas” de Augusto de Campos, Haroldo de Campos e Boris Schnnaideman.
*Trecho de “A Origem da Primavera ou A Morte Necessária em Pleno Dia”, retirado do livro “Uma aprendizagem ou o Livro dos prazeres” de Clarice Lispector.
*Trecho do livro “O Lustre” de Clarice Lispector.
*Trecho de “Desejos” de Affonso Romano de Sant’Anna, poema recitado na voz de Tônia Carrero no CD “Affonso Romano de Sant'Anna por Tônia Carrero”.

5 Clariceanos:

Anônimo disse...

Olá,
Parabéns pelo Blog....gostaria de convidá-lo a visitar o nosso e comentar o post da Clarice Lispector ....minervapop.blogspot.com
Valeu!
Anselmo - SP

~ Gaa.h disse...

Ameei o blog e a postagem!
Perfeito o arranjo..
Eu amo a Clarice, ela é a melhor de todas na minha opinião, sou fã dela!
^^

Beijoos'
Parabéns pelo blog!
P.S. Estou seguindo

Pedro disse...

Heeeey,
Amei esse texto...
Me fez pensar :
Quem eu sou?
Onde estou?
Heheheh

=)

Talita disse...

Amei o blog.
Sou apaixonada pelos textos de Clarice...
Passei a serguir esse blog...lindo cada texto!!

Maxi Gutho disse...

Olá, parabéns pela PAGINA...Muito BOA! Bom, gostaria de convida-la a conhecer o meu CANAL Enigmático....
www.maxigutho.co.cc