.

De amor e amizade

.

Amor e amizade inspiraram Clarice Lispector dezenas de vezes. Prova disso são as quatro dezenas de textos selecionadas pelo editor Pedro Karp Vasquez para a coletânea De amor e amizade – crônicas para jovens, primeiro de uma coleção que reunirá crônicas, escolhidas por temas, de Clarice Lispector.
Sem prender-se a significados prosaicos, a escritora criou durante anos histórias que remetem a amizades daquelas sem tamanho, a amores para o resto da vida, a relacionamentos baseados na superficialidade e até mesmo ao episódio daquele amor destruído por causa de um bule de bico rachado. Passadas mais de três décadas da morte de Clarice Lispector, os textos confirmam que esses sentimentos permeiam relações e gerações.
Os textos escolhidos apresentam-se impregnados pela forma incomum com que a escritora transporta para o papel seu jeito de ver o mundo e de lidar com o amor e a amizade. Linha após linha, Clarice conduz seus leitores pela “mistura de observações das miudezas do cotidiano com vastos voos do espírito”, como define o editor no prefácio. Leitores de Clarice Lispector não tem idade, mas desta vez a seleção foi pensada para provocar uma experiência inspiradora em jovens leitores, aqueles que “estão começando a descobrir os mistérios e os prazeres do amor e da amizade”.
Histórias fictícias intercalam-se com relatos pessoais, nos quais Clarice parece prestar uma homenagem a amigos queridos. Aparecem nesses momentos, companheiros de episódios de alguma fase da vida da autora, como é o caso do matemático Leopoldo Nachbin. Clarice e Leopoldo encontraram-se no primeiro dia de aula do Grupo Escolar João Barbalho, em Recife. Durante alguns anos, os dois foram os mais impossíveis da turma, com boas notas em todas as disciplinas, exceto em comportamento.
Clarice escreve ainda sobre outro tipo de amor/amizade, aquele com toques genuínos de admiração, algo próximo ao sentimento que levou a leitora anônima a fazer um suéter especialmente para a escritora. A resposta, em tom de agradecimento, foi escrita com a delicadeza que Clarice costumava dedicar aos leitores – a quem chegava a responder cartas e a escrever crônicas baseadas em suas sugestões e seus questionamentos: “E eis-me dona de repente do suéter mais bonito que os homens da terra já criaram.”
De amor e de amizade – crônicas para jovens não se restringe, porém, somente àqueles que encontram-se com Clarice pela primeira vez, mas serve também como um “sopro de renovação e reflexão para os leitores mais maduros”, aqueles que há muito já descobriram que a vida não foi feita para ser vivida automaticamente e que tanto a amizade quanto o amor devem ser experimentados até a última gota – “sem nenhum medo”, como ressalta em determinado momento a escritora.

Mais informações: Editora Rocco.

5 Clariceanos:

Su! disse...

Já li este livro de Clarice, muito lindo e inspirador; ao amor e a amizade: dos jovens e dos adultos que se perdem dentro de si.

Jozi Elen Fleck disse...

Coisa linda. Conheci esta obra e achei interessantíssima. Boa para todos aqueles que têm dificuldade para começar a ler Clarice. Há muitos que não gostam por que lhe foram apresentadas as obras mais mais mais intensas. É uma questão de conhecer seu próprio mistério. Obrigada, sou clariceana de coração.

Naju disse...

Li o livro e gostei da seleção dos textos escolhidos. Já havia lido em "A Descoberta do Mundo", mas para quem não teve contato com as crônicas da Clarice, este é um ótimo começo. Abraço e um ótimo 2011.

Paulo Roberto Wovst Leite disse...

Belíssima idéia organizar este blog, ainda que tenha conhecido só agora quero curtí-lo muito.
Parabéns...

Att.
Paulo.

larissa tassyla disse...

ola pessoal
meu nome e larissa
eu ainda nao li este livro mas
eu estou lendo um livro da clarice lispector
"paixao segundo G.H."
estou adorando
sou uma fan dela
ela escreve muito bem!